Residências artísticas com Amarante

Barro Preto de Gondar – 1ª residência

O Barro Preto de Gondar é uma das artes tradicionais mais emblemáticas e antigas do concelho de Amarante, onde a técnica de cozedura e escurecimento do barro – na soenga – constitui o modo mais ancestral, elementar e natural de todos os tipos de cozedura para cerâmica. Aconteceu mais uma soenga inserida na 3º residência artística do projeto enRed’arte com a presença da artista Ana Caridade, Vítor Fernandes e o único oleiro que ainda leva a cabo a tradição centenária César Teixeira. A Artista Ana Caridade este durante todo o fim-de-semana com a equipa de Recolha enRed’arte a registar antigos oleiros e pessoas com histórias interessantes sobre esta prática. A residência tem como objectivo final a criação de um livro infantil sobre o Barro Preto, assim como a escrita da história de cada peça, para anexar ao barro aquando da sua exposição e venda.
 

Barro Preto de Gondar – 2ª Residência

 
Regressamos a Amarante para mais uma etapa deste belíssimo projeto. Fizemos o processo acompanhado por canções do Toninho e com direito a sessão de contos pelo Narrador Vitor Fernandes e Toninho de Gondar. O Barro Preto de Gondar é uma das artes tradicionais mais emblemáticas e antigas do concelho de Amarante, onde a técnica de cozedura e escurecimento do barro – na soenga – constitui o modo mais ancestral, elementar e natural de todos os tipos de cozedura para cerâmica. Residências artística do Conto o que se Conta (Ana Caridade e Vitor Fernandes) em Amarante com Associação Viver Canadelo, o Oleiro César Teixeira e investigação com a comunidade. A residência tem como objectivo final a criação de um livro infantil sobre o Barro Preto, assim como a escrita da história de cada peça, para anexar ao barro aquando da sua exposição e venda. Fotos: Daniel Caridade