Contadores de Memórias

Sinopse

Conta-me o que ouviste contar e o que te contaram… há um momento de paragem, na ação, em que se escutam e partilham histórias, contos, lendas e cantam-se melodias de outros tempos… tempos em que a madrugada era o despertar e o trabalho o companheiro do crescimento…
As brincadeiras de crianças inocentes… canta-se e dança-se para consolar de sol a sol. Cânticos deliberdade e alegria transmutam as horas de cansaço… procura-se a leveza quotidiana! Medos coletivos instalados… figuras estranhas encontram-se na calada da noite, serão elas fruto do Deus ou do diabo? Hoje, trocam-se experiências nestes Centros de Convívio… o deleite de cada sorriso e abraço! E assim se passaram os dias… transformando-se em contadores de memórias!

A instalação é uma homenagem, em forma de arte, às vozes visíveis e invisíveis de tantas almas que se vão cruzando e perpetuando o fio condutor desta tradição oral. Nasce de uma recolha feita nas tardes de conversa afiada nos Espaços de Convívio e Lazer de Cabeceiras de Basto.

 

Ficha TécnicaExposições/Instalações
Recolha – Ana Caridade coadjuvada por Joana Veloso
Fotografia – Maria José Jacinto
Sonoplastia – Miguel Marques

Design – Sílvia Teixeira – Whatdesign

Apoio: Conto o que se Conta, Centro de Teatro da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto 

  Contadores de Memorias surge de um conjunto de residências artísticas em que Ana Caridade, Joana Veloso escutam histórias de vida, contos tradicionais, músicas de trabalho e lazer, mezinhas e medicinas tradicionais de vários anciãos. A sabedoria popular, uma das paixões destas duas mulheres, serve de mote para convidarem Maria José Jacinto para fotografar esses momentos de partilha. Surge uma exposição fotográfica homenageando estas Mulheres e Homens que são os guardiões da identidade do povo. O Miguel Marques surge como convidado para dar voz às pérolas partilhadas criando a sonoplastia da Instalação.

 

Design de Comunicação

 

Exposição – fotos

 

Exposições