MENINOS ESPECIAIS

Sinopse

Projeto inclusivo baseado numa pedagogia vivencial em que o público participa na criação do produto final. O processo é visto como uma ferramenta essencial da aquisição de competências para promover a vivência harmoniosa com a diferença.
É promovido o vivenciar, partilhar, sentir e transmitir numa construção conjunta em que todos têm uma participação especial.  A performance “Meninos Especiais” consta da fusão da coleção (6 livros) com o mesmo título, aonde se recria uma história aonde os 6 personagens se cruzam e mostram a beleza única de se ser diferente. A performance é uma mescla de expressões artísticas que proporcionam ao espectador realizar uma viagem pelo mundo de 6 meninos especiais, através da dança, movimento, música e narração da história sempre em interação constante com o público.
Partilha de Pais em CírculoProcesso Criativo PartilhadoProcesso Criativo das MarionetasPerformanceParcerias/Apoios

Este momento constou de uma conversa de oscultação das vivências dos pais enquanto pais de “meninos especiais”. Foram partilhadas as experiências de vida e como lidam com os desafios dos seus filhos. Apontaram possibilidades de caminhos.

Foi considerado um momento importante para se dar espaço priviligiado aos cuidadores os quais necessitam de apoio e de partilha para poderem encontrar melhores soluções para os seus filhos.

Foi sentida alguma resistência das famílias de “meninos especiais” na participação das atividades.   

Foram desenvolvidos Laboratórios experimentais para desenvolvimento do processo criativo e desenvolvimento de capacidades artísticas dos participantes. Estiveram presentes cerca de 80 pessoas mais os voluntários cerca de 10. Foi um dia completamente inclusivo em que uniu neste processo criativo várias gerações, “meninos especiais” e pessoas de várias nacionalidades. Baseado numa pedagogia vivencial foram desenvolvidos os laboratórios com formadores especializados em diversas áreas.

– Laboratório experimental de leitura partilhada “Dar voz aos Meninos Especiais” (grupo inclusivo de leitura);

– Laboratório experimental de exploração e estimulação multisensorial “Meninos Especiais com sentido e sentires“ (Ana Caridade);

– Laboratório experimental de movimento e expressão corporal “Toca a mexer Meninos Especiais “ (Sandra Azevedo – Stultifera Navis);

– Laboratório experimental de desenho “Meninos Especiais na ponta do lápis“ (Vários formadores – Associação O Mundo Somos Nós”);

– Laboratório Experimental de exploração de som/música “Os sons dos Meninos Especiais” Dalila Vicente – Academia de Música de Alcobaça e Pais em Rede

– Laboratório experimental de trabalhos manuais e expressão plástica “Mãos à obra Meninos Especiais“ (Nigel Cave e Maria Cave).

Laboratório experimental de trabalhos manuais e expressão plástica “Mãos à obra Meninos Especiais“ (Nigel Cave e Maria Cave). Visita à “Casa do Escultor” para terminar as marionetas (os seis personagens dos meninos especiais para serem usados na performance final)

A performance surge como produto de um processo conjunto elaborado nestes três momentos e com o apoio de pesquisa e contato com associações/instituições que trabalham com pessoas com necessidades especiais. Todos os participantes fazem parte da performance através do seu contributo nos laboratórios experimentais, nas filmagens do processo e o público que assiste também tem um papel fundamental na concretização da mesma, através da interação e estimulação sensorial criada para o efeito.

Criação: Ana Caridade
Direção artística: Ana Caridade, Eva Azevedo e Paulo das Cavernas
Criação de imagem/design: Silvia Teixeira (Whatdesign)
Criação do Cenário: Nigel Cave e Maria Cave
Direção musical: Paulo das Cavernas
Interpretes: Ana Caridade e Eva Azevedo
Músico: Paulo das Cavernas
Produção: Sandra Azevedo (Stultifera Navis)
Vídeo: Matías Lomoro – TOCA/Synergia
Parcerias: Conto o que se Conta, Associação Juvenil Synergia e Pais em Rede
Apoios: Whatdesign, In My Shoes, TOCA – Trabalho de uma Oficina Cultural e Associativa, Alma Mater Artis, Sementinha, Academia de Música de Alcobaça, ANIP, Vencer o Autismo, Junta de Freguesia de Ronfe, Stultifera Navis, O Mundo Somos Nós.
Co-financiado: Direção Regional da Cultura do Norte

 

Design de comunicação

 

Processo Criativo Partilhado – 3 fases

 Performance